Estará o Mundo a ser um Lugar Perigoso?

Estará o Mundo a ser um Lugar Perigoso?

Em 15 deste mês de maio de 2017, a Newsweek, publicou um texto de Behnam Taebi, intitulado «Eliminar Resíduos Nucleares é um Desafio para a Humanidade», onde este tece uma série de considerações a propósito de um acidente ocorrido num depósito de resíduos nucleares, nos Estados Unidos. 
Tem a imprensa portuguesa dado expressão, recentemente, à questão da existência de uma Central Nuclear perto da fronteira portuguesa, o que representa um risco. 
Temos de estar atentos, e aumentar o nosso nível de consciência, pois o saber coletivo é constituído também, pela soma do que cada um sabe. Se aumentarmos o nosso nível de consciência, o nosso comportamento social também se altera.

Em maio de 2015 , o Papa Francisco publicou a sua Carta Encíclica « Laudato si' », que no seu numero 104 diz: «Não podemos, porém, ignorar que a energia nuclear, a biotecnologia, a informática, o conhecimento do nosso próprio DNA e outras potencialidades que adquirimos, nos dão um poder tremendo. Ou melhor: dão, àqueles que detêm o conhecimento e sobretudo o poder económico para o desfrutar, um domínio impressionante sobre o conjunto do género humano e do mundo inteiro. Nunca a humanidade teve tanto poder sobre si mesma, e nada garante que o utilizará bem, sobretudo se se considera a maneira como o está a fazer. Basta lembrar as bombas atómicas lançadas em pleno século XX, bem como a grande exibição de tecnologia ostentada pelo nazismo, o comunismo e outros regimes totalitários e que serviu para o extermínio de milhões de pessoas, sem esquecer que hoje a guerra dispõe de instrumentos cada vez mais mortíferos. Nas mãos de quem está e pode chegar a estar tanto poder? É tremendamente arriscado que resida numa pequena parte da humanidade.», continuando no 114 «O que está a acontecer põe-nos perante a urgência de avançar numa corajosa revolução cultural. A ciência e a tecnologia não são neutrais, mas podem, desde o início até ao fim dum processo, envolver diferentes intenções e possibilidades que se podem configurar de várias maneiras. Ninguém quer o regresso à Idade da Pedra, mas é indispensável abrandar a marcha para olhar a realidade doutra forma, recolher os avanços positivos e sustentáveis e ao mesmo tempo recuperar os valores e os grandes objectivos arrasados por um desenfreamento megalómano.»

Convidamos os nossos leitores para uma reflexão sobre o tema.

Pode ler  AQUI  o texto de Behnam Taebi